29 de mar de 2017

Club Penguin - O Fim de uma Era.

Olá pinguins! Tudo bem com vocês? Aqui é o Sonic!

Hoje estou aqui para mais uma coluna, mas essa passará longe de uma coluna qualquer, talvez possa até ser a minha última. Se você tem estado informado nas notícias aqui do MACP, já deve estar sabendo que o nosso amado Club Penguin para desktop será encerrado em breve. Esse será o assunto da coluna de hoje, e espero que vocês leitores apreciem esse trabalho, cujo objetivo é fazer uma lembrança de toda a rica história que esse, para muitos, "joguinho idiota" formou ao longo dos anos. Isso tudo de uma maneira mais informal e descontraída, focando mais no texto em si e não nas imagens e destaques.

Então, segure suas emoções, pois temos pela frente uma postagem que deve tocar no coração de quem um dia já foi um jogador assíduo de CP.


Sim amigos, os rumores que tanto lhes informei ano passado sobre a substituição do Club Penguin por fim se concretizaram. Eu lembro que na época, minha opinião era que isso era uma ideia totalmente estúpida, mas de uns meses para cá minha opinião mudou um pouco. Vou explicar o porquê.

Então, há um tempo atrás foi anunciado que o Flash Player não seria mais usado pelo navegador Google Chrome, até por ser um reprodutor de multimídia considerado ultrapassado nos dias de hoje. Como de costume, logo os outros navegadores seguem as ações do Chrome e passam a desabilitar o reprodutor. E isso é um grande problema para o CP, pois a base do mesmo é feita a partir do já citado Flash Player. Para adaptar o jogo para outro reprodutor de mídia como o Unity, levaria um bom tempo, e a esse ponto os jogadores já devem estar cansados de esperar pelo CP Island. Além disso, a versão de desktop do jogo poderia ficar em uma situação pior do que já estava. Então, o melhor mesmo a se fazer é aceitar a situação e se adaptar ao mobile.

Admito que o Club Penguin desktop poderia acabar muito pior. O jogo ainda terá uma fantástica e promissora continuação para os mobiles, que são uma área muito emergente no mercado eletrônico nos dias de hoje. Claro, o Club Penguin tradicional será eternamente lembrado e nem se compara com o CP Island, mas temos que dar uma chance ao app, pois quem sabe ele não possa reerguer o respeito do antigo Club Penguin entre os jogos de sua faixa etária?

Agora, quero lhes fazer uma pergunta. Quantos de vocês pensavam que aquele jogo que brigava com Transformice, Habbo e outros jogos de navegador em Flash pela supremacia dos jogos infanto-juvenis com constantes propagandas e popularidade no ápice em 2012 um dia chegaria a esse ponto? Pois é pessoal, as coisas mudam toda hora. Nessa época eu imaginava que nada nunca ia mudar no jogo, comunidade, festas, administração, nada. Quase cinco anos depois estou aqui, fazendo uma postagem sobre o fim do Club Penguin, um jogo que passou a decair ainda mais a cada ano que passava.Também aposto que você leitor e jogador veterano de CP se lembra da época que as barrinhas de servidores ficavam sempre lotadas até mesmo às 23:00.

Essas são apenas algumas provas de que o Club Penguin marcou uma geração de crianças, cujo muitas delas já abandonaram o jogo e cujo uma pequena parcela dessa geração somos nós hoje em dia, que preferiu ser leal ao jogo e/ou a sua comunidade. Não só o Club Penguin, mas também muitos outros jogos por aí como Transformice, Habbo e Neopets. Porém, o que fez esses jogos deixarem o legado que deixaram foi, além de sua incrível jogabilidade, a comunidade que eles formaram. Estou falando da CPBR no nosso caso.

É inegável, eu não estaria aqui fazendo essa postagem se não fosse pela CPBR. Você não estaria aqui lendo essa postagem se não fosse pela CPBR. O CP não seria o mesmo sem a CPBR. E claro, devemos nossos créditos à CPEN, pois sem ela o Club Penguin também não seria a mesma coisa e nem a CPBR seria a mesma coisa, até porque os primórdios de nossa comunidade foram nos próprios servidores de linguagem inglesa. Se essa de início pequena comunidade não registrasse conteúdo sobre Club Penguin, talvez nós aqui agora nem teríamos conhecido esse incrível jogo. E ao contrário do que muitos dizem, o CP também não seria o mesmo sem a Disney. Admito que nos últimos anos a administração - perdoem-me o termo - ficou uma boa merda, porém o Club Penguin provavelmente não teria renda o suficiente para se manter por alguns anos e não teria desenvolvido seu potencial se a Disney não investisse nele. Então, embora tenha "matado" ele, a empresa também ajudou demais o Club Penguin a crescer.

Também aposto que você que viveu os anos de ouro do jogo se lembra da diversidade da nossa blogosfera, hoje tão hierárquica. Esse foi um dos primeiros assuntos que eu trouxe nas minhas colunas, há mais de um ano, e até hoje mantenho minha opinião de que a concentração de público em poucos blogs foi um dos motivos da ruína da CPBR Mas, enquanto gigante e diversificada, a blogosfera foi um dos setores mais importantes para o desenvolvimento de nossa comunidade, se não a mais importante. Planet Club Penguin, CP Premium, SOS Club Penguin, Club Penguin Avalanche, Turma do Selo, Portal Club Penguin e tantos outros blogs tradicionais ajudaram os jogadores com notícias, códigos e guias registradas por seus ótimos postadores, e ao mesmo tempo inspiravam pinguins a seguir o mesmo ramo. Sem falar dos clássicos xats, que por muito tempo foi a principal forma de comunicação entre os jogadores e que ajudou muitas amizades a serem criadas na CPBR. Com certeza foi uma parte marcante na história do Club Penguin.

Outro setor importante para a CPBR foi o Youtube. Nossa comunidade teve gênios como Sempre234, Hiato, Gustarraio, Derp, Manu Kiki, Lilonow, The Catotaz, Didasco, Thi101, Grande Yoda, Kobas, Narutox20, Matrix Magma e muitos outros que faziam um excelente trabalho em entreter os jogadores com esquetes, CPMVs, séries e outros estilos de vídeo. O próprio Sempre, uma das maiores lendas da CPBR, adquiriu 26 mil inscritos ao longo desses 11 anos, algo que pode parecer insignificante hoje em dia com a popularização da plataforma, mas que há anos atrás era algo absurdo. É incrível ver que vídeos considerados amadores, alguns até com banner da Hypercam no canto superior esquerdo, alcançaram públicos tão grandes, 200 mil, 300 mil pessoas. Até hoje eu sou inscrito nesses canais, e acredito que muitos de vocês façam o mesmo.

E claro, essa não seria uma coluna celebrando a história do Club Penguin sem falar dos aspectos do jogo em si. Festas, salas, minijogos, são tantas coisas que esse jogo nos proporcionou que se eu falasse de todas elas essa coluna se ficaria interminável, mas tentarei resumir tudo em tópicos. Se você sentir falta de alguma coisa, sinta-se livre para comentar sobre isso.

Festas

Ninguém pode negar que as festas foram inerentes para jogo. Festa Medieval, Setembrina, 1° de Abril, de Fim de Ano, as Operações, muitas se destacaram ao longo desses 11 anos. Algumas tiveram ideias geniais, como a Penas pro Ar 2009, outras trouxeram batalhas épicas, como a Festa Medieval 2012, outras trouxeram novos puffles, como a Expedição à Natureza 2011, outras trouxeram novas salas, como a Expedição Cavernosa 2010, e a lista continua. Destaque para a Coins For Change, que nos ofereceu uma maneira de ajudar o mundo com poucos cliques. Todos esses eventos mantiveram o CP no topo com suas propostas inovadoras, sempre escapando da mesmice. Sinto que essa magia tem se perdido nos últimos anos, mas para mim isso nunca vai apagar as festas maravilhosas que um dia já aconteceram no Club Penguin.

Salas

Aposto que cada um de vocês tem ou teve uma sala preferida dentro do jogo. Eu sempre tive um carinho pelo Plaza, principalmente por conter o Teatro e a Pizzaria, duas salas memoráveis para mim, isso pelo menos até 2015, quando o Teatro foi substituído por aquele Shopping de Puffitos Silvestres que nunca serviu para nada. Mas é claro que já houveram muitas outras salas interessantes na história do jogo. Algumas "secretas", como "Debaixo D'Água" e a Dimensão das Caixas, que por vez ou outra tinha alguns pinguins dentro dela. Outras clássicas, como o Centro, Forte Nevado e Ancoradouro, que costumavam ser um mar de pinguins. Também não posso deixar de citar o Icebergue, que por pouco mais de uma década teve ao seu redor mitos de que podia ser virado, finalmente virou, graças à insistência da comunidade e à equipe do Club Penguin, que percebeu nosso esforço. Eram nessas salas que milhares de jogadores, assim como eu, criavam aventuras com outros pinguins.

Minijogos

Foram outra presença marcante na história do Club Penguin. Dos mais clássicos, como o Bóiacross, aos mais recentes, como o Esmaga Fruta, todos tem aquele algo a mais. Até mesmo o Porcas e Parafusos, o minigame menos jogado na Área VIP, tem seu valor. Destaque para o Desafio Ninja, talvez o minijogo mais popular de todos. Aposto que todo jogador assíduo derrotou pelo menos uma vez o Sensei. Embora eu nunca tenha chegado a completar o Desafio Ninja Neve, tenho muito orgulho de ter conquistado a faixa preta de Ninja e os Quimonos de Fogo e Água. Minijogos esses que também incentivaram a amizade entre os pinguins, uma vez que muitos deles deveriam ser jogados em multiplayer. Para mim, foi uma das características marcantes da história do CP.
 
Produtos

Como todo jogo de sucesso, o marketing do CP era diverso. De jogos para outras plataformas a pelúcias, havia de tudo. Admito que já montei uma boa coleção de mercadorias do jogo. Até hoje tenho várias pelúcias de puffles, bonecos de pinguim, livros, cards do Desafio Ninja e os dois jogos zerados da EPF para DS, além de um também zerado Game Day para Wii. Esses por acaso foram ótimos jogos. Os jogos da EPF possuem uma das melhores trilhas sonoras que uma vez já vi em um jogo, além de uma ótima história. O Game Day por sua parte possui uma proposta de jogo criativa e ótimos minigames. Logo, podemos concluir que o Club Penguin também deixou um legado nos jogos de console.

Pins

Um dos tópicos mais presentes em blogs. Admito nunca ter sido fanático por procurar pins, até porque acho os primeiros pins mais interessantes, mas acredito que eles não podem ser considerados algo esquecível. Realmente é um desafio coletar todas essas figuras por quase 11 anos, sendo que alguns são secretos e precisam de métodos especiais para serem desbloqueados. Eles acabaram se tornando um símbolo para o Club Penguin e devem ser lembrados.

Selos

Como posso descrever o Livro dos Selos? São tantas conquistas que quem completar todas elas pode ser considerado um verdadeiro mestre. Algumas são absurdas de se obter, como a de nadar com Bóia de Pato, um item raríssimo nos dias de hoje. Ao contrário do que aconteceu com os pins, eu me desafiei a completar o Livro dos Selos (o que não aconteceu), e realmente foi uma ótima experiência. Não posso pensar em uma sensação mais prazerosa do que ouvir o barulhinho de selo conquistado, e creio que vocês também achem o mesmo. Ao longo desses anos, tenho percebido que a página com mais fama entre os pinguins foi a dos famosos, talvez por ser uma das mais desafiadoras. Eu por exemplo já fiquei obcecado por completar aquela página (o que também não aconteceu, faltaram os selos da TP e Herbert). No geral, o Livro dos Selos foi uma das melhores ideias da equipe do Club Penguin.

Itens

Acredito que todos os jogadores tenham tido um item ou estilo pelo qual tiveram um carinho especial. No meu caso é o Elmo de Viking Azul, que acabou se tornando minha "marca registrada". Mas eu também já tive uma vontade imensa de obter os Óculos 3D, cujo consegui em 2015. Devido à questão da assinatura, muitos pinguins não tiveram muitas opções de vestuário e tiveram que se contentar com itens especiais de festas e itens obtidos através de códigos, mas mesmo assim grande parte desses poucos itens eram bem feitos. Além disso havia o Livro dos Tesouros, hoje completamente abandonado e sem receber atualizações há anos, mas que por muito tempo teve itens interessantes e atualizados frequentemente. Também há a questão da raridade de certos itens, como o clássico chapéu beta, que para mim se perdeu bastante com o catálogo especial do aniversário de 10 anos do CP. Lamentavelmente, teremos que dar adeus a todos os nossos itens uma vez que começaremos no CP Island do zero. Mas no geral, eles foram marcantes por sua diversidade e inovação.

Puffles

Que atire a primeira pedra aquele pinguim que nunca comprou ou quis comprar um puffle. Essas pequenas criaturas peludas em formato de bola estão presentes entre nós desde 2006, e até hoje são muito queridas. Embora muitos dos meus puffles já tenham fugido (lol), eu possuo até hoje meu puffle azul Billybob. Infelizmente, eles serão mais uma das coisas que "morrerão" junto com o CP Desktop. Sim, teremos que dar adeus aos nossos mascotes. Mas os puffles com certeza foram marcantes para o jogo, podendo ser considerados até um símbolo do Club Penguin.

Para finalizar, queria fazer uma consideração sobre o quão importante o CP foi para mim, e peço para que você também deixe seu comentário sobre como foi sua experiência com o Club Penguin.

5 anos. Foi durante esse tempo que vivi um dos melhores momentos da minha vida. Tudo através de um jogo de navegador. Tive tantas experiências que seria impossível descrever todas elas. Derrotei o Sensei e conquistei a faixa preta e conquistei o Dojo de Fogo e o de Água. Me tornei agente da EPF e vi sua destruição e reconstrução. Me tornei Guia e ajudei pinguins novatos. Adotei puffles. Joguei minigames. Procurei por famosos. Conquistei selos. Participei de festas e aventuras incríveis. E o mais importante, fiz amigos. Muitos desvalorizam o Club Penguin, "jogo simples e idiota", mas esse jogo marcou uma geração de jogadores. Uma geração unida e organizada, que soube se expandir para blogs, vídeos e redes sociais. Uma geração que criou uma rica história para esse jogo. Uma geração que ensinou crianças e adolescentes a se socializarem e fazerem amigos para a vida inteira, tanto na internet quanto na vida real. De fato, é o fim de uma era. A era do Club Penguin. Mas é o começo de outra, que promete ser tão prolífica quanto a que nós vivemos. Após 29 de Março, não levaremos nada desse jogo. Apenas as memórias de nossa infância que está indo embora. Tenho apenas o que agradecer ao Club Penguin, por me ajudar a me tornar quem eu sou hoje.

E é assim que encerro minha coluna. Muito obrigado a você que leu essa postagem até aqui e que acompanhou essa comunidade durante todos esses anos. Lembre-se:

Pinguinando. Sempre.