16 de dez de 2016

A verdade está lá fora #10 I Vitória alienígena?!

Olá pinguins! Sejam bem vindos ao décimo capítulo de A verdade está lá foraVamos acompanhar os agentes sobreviventes armando os planos para acabar com os alienígenas, mas será que eles conseguirão? Observação: Um pouquinho longo.

Os  últimos capítulos serão postados mais cedo (por exemplo no sábado ou até na sexta). Créditos a Pintado pela montagem.




Era madrugada, os agentes aguardavam ansiosos Pintado, Pintado estava no galpão-base alienígena, entrou pelos fundos, e conseguiu roubar a planta da base alienígena, ela estava dentro de um cofre no subterrâneo da base, Pintado desce as escadas e então liga para Gary, Gary tentava achar a combinação que abre o cofre, e depois de muitas tentativas, Pintado conseguiu abrir o cofre e roubar a planta, e então saiu sorrateiramente pelos fundos e então correndo chegou na cabana de madeira, e então os agentes faziam a festa, tudo estava dando certo, mas será mesmo?

Área inóspita12:50 AM.

Uma tropa alienígena saiu do galpão-base para fazer uma ronda, mas só que metade dela se perdeu nas áreas inóspitas da Ilha Club Penguin.

Aquela tropa que se perdeu, portava um canhão de raio laser, assim poderia destruir até um iglu! Mas eles estavam perdidos, não achavam nada além de mais pinheiros, e quando olhavam para o norte viam as montanhas. Até que encontraram uma cabana, que era a da Resistência!

Os alienígenas conversavam entre si, mas quando perceberam Gary na janela da cabana já acionaram o canhão, os alienígenas estavam escondidos atrás dos pinheiros próximos da cabana, então o inesperado acontece!

O canhão acerta em cheio a cabana, e voa os pedaços da cabana a metros. Então rapidamente os alienígenas vão embora e acabam chegando nas áreas urbanas da ilha.

Na noite anterior Pintado conseguiu roubar as plantas (desenho que representa a projeção horizontal de um objeto qualquer) do galpão-base alienígena, mas agora tudo havia se perdido, as plantas do galpão agora estavam dentro de uma caixa que agora se encontra soterrada na neve.

Gary, Dot, Juh, Danielps, Sponge, George, Paul Pintado, Lililuane e Eduerafa conseguiram sobreviver por incrível que pareça, graças a uma proteção metálica que Pintado tinha instalado por toda a cabana! Mas Bruce, Jess, Novak e Jordan não...

Todos sobreviventes foram jogados longes um do outro, então ninguém encontrava ninguém, quem estava com ferimentos, como Dot, Gary, George, Lililuane e Paul até que leves fugiu para as áreas urbanas, mas Pintado, Eduerafa, Sponge, Juh e Danielps não estavam tão bem assim  e acabaram desacordados com a explosão, e ficaram por lá mesmo.

Mas o antigo Club Penguin já não existia, todos os antigos prédios foram derrubados, agora tinham parte da população usada como trabalhadora construindo a nova cidade alienígena, Theodore queria se livrar dos pinguins, então só queria usá-los para a construção da cidade e depois isolá-los totalmente na área inóspita em cima das montanhas.

Parecia o fim, a ilha estaria condenada? Será que a EPF foi definitivamente extinta? Será que um dia um agente sobrevivente ou alguém conseguirá tirar a ilha das mãos alienígenas? Só o tempo dirá...

Montanhas na área inóspita do Club Penguin13:30 PM.

Os alienígenas acompanhavam a construção das casas dos pinguins, eram iglus em cima das montanhas! Realmente os alienígenas queriam isolar os pinguins da futura civilização alienígena que viveria na área urbana do Club Penguin. Uma jovem pinguim observava tudo ao seu redor, ela sabia o que estava acontecendo, era difícil para uma menina tão jovem aceitar que seu lar agora era de alienígenas, ela queria fazer algo mas não podia fazer nada.

Depois de algum tempo os iglus já estavam prontos (com tantos pinguins trabalhando juntos os iglus rapidamente ficaram prontos). Todos já estavam em seus iglus, tentando se adaptar ao novo estilo de vida que foram obrigados a se submeter.

Sala de Theodore no Galpão-base dos alienígenas15:00 PM.

Theodore estava vendo todos os seus planos darem certo, então ele chama o comandante das tropas alienígenas, com uma espécie de ligação  de celular. Em alguns minutos o comandante chega na sala de Theodore.

A sala de Theodore era muito organizada, tinha sua mesa e duas cadeiras na frente dela, além de estantes e sofás e até quadros.

- Sente-se. - diz Theodore

O alienígena pergunta o que Theodore queria.

- Eu tenho uma nova ordem, avise suas tropas para matar qualquer agente que tenha sobrevivido. - diz Theodore imaginando a total hegemonia alienígena

O alienígena pergunta se tinha mais alguma ordem a cumprir.

- Bom, faça rondas com os tanques de guerra e soldados a pé mesmo pela ilha toda, só isso mesmo, está liberado. - diz Theodore

O alienígena vai embora, enquanto isso Theodore imagina a hegemonia alienígena e ele no poder.

Área inóspita15:20 PM.

Pintado acordou, ele havia desmaiado, estava alguns metros dos destroços da cabana, a explosão o jogou longe. Então se levantou, ele estava com feridas e havia perdido um dos olhos, ele ficou agoniando por alguns minutos até que andou mancando em direção a cabana, encontrou Eduerafa com vários arranhões e algumas feridas, Pintado tentou acordá-lo, Eduerafa se levantou reclamando das dores.

- Venha comigo. - diz Pintado agoniando

- Espere aí. - diz Eduerafa andando lentamente atrás de Pintado

Os dois encontram Juh e Danielps caídos um do lado do outro, os dois estavam vivos, Eduerafa checou os batimentos dos dois e estava tudo certo, então consegue acordá-los.

- O que houve? Como fui parar aqui? - diz Danielps

- A gente estava dentro da cabana quando fomos vítimas de uma explosão! - diz Pintado agoniando de dor

- Eu me lembrei, minha nossa, estou cheio de arranhões! E também feridas, igual Eduerafa. - diz Danielps assustado com tudo o que estava acontecendo

- E eu estou com hematomas além dessas feridas. - diz Juh se levantando

- Devemos tomar cuidado para não morrermos de infecção ou algo do tipo. - diz Danielps se levantando

- Isso não irá acontecer, posso te garantir. - diz Eduerafa

- Eu devo tomar muito cuidado, pois perdi meu olho. Vou buscar por um óculos de proteção. - diz Pintado

- Que horror! - diz Juh

- Realmente. - diz Danielps concordando com Juh

- Devo concordar com vocês. - diz Eduerafa

Pintado procurava em meio aos destroços da cabana um óculos de proteção. Até que encontra, ele o pega e logo depois o coloca.

- Usarei isso para proteger o buraco onde devia estar meu olho, estes alienígenas não estão de brincadeira. - diz Pintado sentando no chão

- O que faremos agora que perdemos tudo, e o resto dos agentes sumiram? - diz Eduerafa

- Com certeza Theodore buscará por agentes sobreviventes, ele deve saber que alguns de nós sobrevivemos, devemos nos separar, se isolar do resto da ilha, pois só assim conseguiremos sobreviver. - diz Pintado

- Infelizmente o que Pintado disse é verdade. - diz Juh

- Eu não irei separar-me de você Juh! - diz Danielps

- Ok, nós poderemos viver juntos. - diz Juh dando um beijo em Danielps

Pintado e Eduerafa riem.

- Mas lembrem-se casal apaixonado, vocês não podem ser vistos por nenhum alienígena, senão já era, e é capaz deles obrigarem vocês a denunciarem a localização do resto dos agentes, então muito cuidado. - diz Pintado

- Eu sei que é difícil a gente se isolar de todos, mas precisamos fazer isso se a gente quiser viver, aposto que os agentes que escaparam também farão isso. - diz Eduerafa

- Eu tenho fé que algum dia será a hora certa para acabarmos com os alienígenas! - diz Juh

- Ou algum alguém pode conseguir acabar com esses alienígenas! - diz Danielps

- Eu espero que a EPF algum dia ressurja, e não vire apenas passado. - diz Eduerafa

- Mas antes tentaremos fazer um ataque final, e juntos! E se ele não der certo, teremos que se isolar do resto da população caso queiramos viver. - diz Pintado

Todos concordam, e começam a discutir entre si. Estava decidido eles iriam atacar a base alienígenas com as armas que tinham, o ataque final! Mas será que eles irão conseguir?

- Bom, agora que todos já concordaram, eu irei pegar as armas que sobraram. - diz Pintado procurando as armas em meio aos destroços

- Você deve ficar sentado, deixe que eu procuro. - diz Juh

Pintado obedeceu a ordem, enquanto isso Juh procurava pelas armas, encontrou uma caixa de ferro quebrada, lá tinha várias armas, então distribuiu para todos.

- É agora ou nunca. - diz Pintado

- Essa é a tentativa final de salvar nossa ilha! - diz Danielps

- Fiquem quietos! Parece que tem alguém aqui, a folhagem daquele pinheiro de mexeu. - diz em voz Eduerafa apontando para o pinheiro

Então de repente aparecem dois alienígenas. Eduerafa dá um tiro em um dos alienígenas. O outro alienígena desvia dos tiros e pula em cima de Danielps, e começa a espancá-lo.

Pintado ia dar um tiro no alienígena, quando leva um soco do alienígena, então Pintado cai longe, gemendo de dor.

Juh assustada corre para longe, e depois de alguns minutos ela percebeu que chegou no galpão-base dos alienígenas.

Enquanto isso, o alienígena tentava matar os agentes, só que ele havia perdido sua arma, Pintado se levanta e dá um tiro na cabeça do alienígena, que cai morto no chão.

Pintado se levanta, e ajuda Danielps a se levantar.

- Melhor tomarmos muito cuidado. - diz Pintado

- E a Juh fugiu! - diz Danielps preocupado

- Ela foi em direção ao galpão alienígena, eu vi. - diz Pintado

De repente um tanque de guerra alienígena aparece.

- Minha nossa! Corre! - diz Eduerafa correndo em direção ao galpão

Pintado corria mancando, até que o tanque dispara raio laser, mas não acerta Pintado. Pintado voa a alguns metros de distância a frente. E cai na neve são e salvo.

Eduerafa e Danielps corriam sem parar. Pintado já estava debilitado, e corria mancando em direção ao galpão, Juh estava escondida em um pinheiro do lado do galpão, quando viu eles chegarem, ela saiu do meio dos pinheiros.

- Rápido vamos! Iremos entrar pelos fundos. - diz Pintado correndo

Todos o acompanham. Chegando nos fundos a porta estava trancada, Pintado dá um tiro na maçaneta e logo após isso adentra juntamente com todos o galpão.

- Muito silêncio. - diz Pintado

Quatro alienígenas entram dentro do galpão pelos fundos. Começa uma troca de tiros, rapidamente os alienígenas foram mortos.

No fim do grande corredor tinha uma grande porta, Pintado atira na maçaneta. Agora eles estavam onde ficavam os veículos alienígenas.

Os alienígenas começaram a atirar, todos se abaixam atrás de uma caixa, e uma troca de tiros começa.

- Danielps e Eduerafa fiquem aqui, eu irei juntamente com Juh achar Theodore. - diz Pintado

Os dois saem e voltam para o corredor onde estavam. Mas Theodore estava atrás deles.

- Ora ora, vocês agentes não morrem nunca não é mesmo. Só vocês não conseguirão salvar a querida ilha de vocês. - diz Theodore rindo

- Seu monstro! Você passou dos limites! - diz Juh

Pintado ia atirar em Theodore, mas Theodore atirou na arma de Pintado, e ela quebrou.

- Devia ter sido mais rápido. - diz Theodore rindo

Pintado então pula em cima de Theodore, e os dois entram em luta corporal. De repente eles acabam entrando dentro do laboratório do galpão. Eduerafa e Danielps estavam indo ajudar os amigos.

Theodore e Pintado ficam em pé, e Theodore o empurra com toda força, assim Pintado acaba indo em direção a janela e cai lá em baixo.

- Agora é a hora a gente se acertar! - diz Theodore rindo

- O que você irá fazer? - diz Eduerafa

- Irei acabar com cada um de vocês. - diz Theodore apontando a arma para eles

- Você pagará muito caro por tudo Theodore. - diz Danielps com muita raiva

- Você é um monstro! Matou muita gente! Como pode ser assim? - diz Juh chorando

- Adoro ver o desespero no rosto dos pinguins! Mua Ha Ha Ha. - diz Theodore

- Um dia você verá que tudo que você fez foi errado. - diz Eduerafa

- Fique quieto! Há muito tempo, eu era um ufólogo, me envolvi com os alienígenas desde muito cedo, sempre mantive contato com eles, e hoje eu sou o líder deles aqui nessa ilha. Eu sempre quis ter o poder, o controle dessa ilha, e hoje isto aconteceu! E tem agentes e seus ajudantes bisbilhoteiros que querem acabar com tudo isso. - diz Theodore

- Ótimo, mas não deixaremos você fazer mais vítimas! - diz Juh

- Será? - diz Theodore rindo maleficamente

Enquanto isso Pintado, corria mancando em direção a mata fechada de pinheiros, mas um avião alienígena estava o perseguindo, e perto dali Sponge havia acordado cheio de arranhões e cortes, ele não havia acordado e não sabia aonde estava os agentes, rapidamente se levantou e correu em direção as pegadas na neve e logo acabou se deparando com o galpão-base alienígena.

Os agentes (e não agentes) estavam cheio de esperanças, pois como diz o ditado ''A esperança é a última que morre''. Agora que os alienígenas tinham praticamente vencido, o que restava aos últimos agentes? Será que o ataque final que Pintado realizará dará certo?

Esse foi o 10° capítulo de A verdade está lá fora. Fiquem atentos, pois sexta ou sábado que vem teremos o 11° capítulo (um dos últimos capítulos)! Até mais e... Pinguinando!