25 de jun de 2017

A verdade está lá fora #9 | A queda

Olá pinguins! Sejam bem vindos ao nono capítulo da segunda temporada de A verdade está lá foraVamos acompanhar os rebeldes a respeito da invasão do Planeta Y?

Clique aqui para acessar a primeira temporada de A verdade está lá fora.






Mini-galpão base da Resistência, 11:30 PM.

Todos estavam do lado de fora do mini-galpão, a festança era muita, apesar das perdas não podia haver desanimação. Gary estava explicando para Jonny, Isabelle, Alijomel, Floco, Cara do Foguete e George o que havia acontecido no tempo da ausência de cada um.

Carrie conversava com Frank, para colocar um fim na Convenção dos Rebeldes, ele estava em uma decisão difícil, mas Carrie sabia, se ele não pusesse um fim na Convenção dos Rebeldes, ele seria deposto mais cedo ou mais tarde.

Após Gary explicar tudo o que aconteceu para os velhos amigos, todos se sentam em uma enorme mesa fora do mini-galpão, ela estava cheia de papéis e comidas.

- Bom caros rebeldes, aliados, civis e ex-agentes. Agora que todos sabem realmente o que estava ocorrendo, devemos festejar! Mas, eu e Carrie estaremos dentro do mini-galpão, tentando entrar em contato com a nave S.S. Patrulha Espacial, que vive circulando pelas redondezas no espaço, ela vai receber a missão de ir até o Planeta Y para acabar de vez com o imperador alienígena, eles não terão que se preocupar com o exército alienígena, pois praticamente todo ele estava aqui na ilha, e nenhum soldado desse exército ainda está na ilha. E aparentemente parece que há uma pequena agência do governo imperial alienígena lá no Planeta Y. Aproveitem a festa! - diz Gary se levantando da mesa juntamente com Carrie

Os dois entram no mini-galpão base da Resistência e percorrem um curto caminho até a Sala de Comando da Resistência, lá ficava um grande painel de computadores, objetos, livros e uma grande mesa. Gary colocou diversas antenas, rádios, microfones, radares e aparelhos diversos aparelhos de ondas.

- Acabei uma mensagem escrita para a nave deles, ela será convertida em ondas para chegar até lá, mas no fina eles entenderão o recado. - diz Gary acionando todos os aparelhos

- Devemos tomar cuidado para a mensagem não ser capitada por outros. - diz Carrie

- Eu sei quais são as naves que estão pelas redondezas, e eu mandei exatamente para a S.S. Patrulha Espacial. - diz Gary

- Eles vão vir até aqui? - diz Carrie

- Não, eles terão que ir até o Planeta Y e acabar de vez com o imperador. - diz Gary mexendo em seus aparelhos

S.S. Patrulha Espacial11:50 PM.

A S.S. Patrulha Espacial era uma nave antiga, retratada em peças no Palco e em jogos de fliperama, mas era uma nave real, formada por uma pequena tripulação: o Capitão Neve, o astronauta Aérea e o alienígena verde Zip, que tinham rivais no Planeta Y , Quip e Qua, mais conhecidos como os Quês.

Apesar do passado de glória, tudo havia mudado, mas a mensagem foi recebida.

- Minha nossa, depois de muitos anos se escondendo deste Império Alienígena, o Gary nos manda uma mensagem! E a notícia é boa! O Império Alienígena não existe mais na ilha! Agora ele nos deu uma missão. Acabar de vez com o Império Alienígena, lá no Planeta Y. - diz Capitão Neve feliz com a notícia e a missão

- Eles não devem mais ter tantos soldados, lembro-me bem de quando veio uma horda de naves cheias de soldados para a ilha, ainda bem que conseguimos nos salvar naquele dia, isso quer dizer que só há os agentes imperiais protegendo o Palácio Imperial onde o imperador alienígena Tnys'm mora. - diz Aérea

- Não devemos esperar nenhum minuto a mais! Vamos imediatamente para lá! Com certeza com essa destruição recente e a morte de Theodore já estão tramando um plano. - diz Zip

- Nós sabemos de pouco! Quem sabe se Theodore não teve um filho ou uma filha? Devemos ir imediatamente até aquele planeta. - diz Aérea

- Com certeza isso não é verdade, mas então sentem-se caros amigos, peguem suas armas e respirem fundo! Vamos até lá e por um ponto final neste império. - diz Capitão Neve acionando a velocidade máxima da nave e regulando os aparelhos da nave

Em poucos minutos a nave aparece na atmosfera do Planeta Y.

- Mas isto aqui está uma decadência! Nem naves do Império Alienígena sobrevoam a atmosfera para dar segurança ao planeta! Meu radar modificado não capta nem naves não visíveis a radares comuns. - diz Capitão Neve

A nave desce em direção a uma cadeia de montanhas do planeta, e lá a nave pousa. A tripulação desce da nave.

- Quanto tempo que não desembarco por essas bandas! Peguem suas armas, vamos até o Palácio Imperial, estas montanhas estão atrás dele, vamos descer e chegaremos pelos fundos, entraremos fazendo um buraco na parede. - diz Capitão Neve

- Parece arriscado, mas é uma boa ideia! - diz Aérea

- Depois teremos também que colocar um fim nos terríveis e brutais Quês! - diz Zip

- Sim! Assim a galáxia estará limpa dessa gente. - diz Capitão Neve andando em direção ao Palácio Imperial, o resto da tripulação vem logo atrás.

Eles descem correndo a montanha.

- Ouvi barulhos de tiro! Olhem! Naves de ataque do Império Alienígena, minha nossa, nos descobriram rápido em, ainda bem que acionei a camuflagem da nave. - diz Capitão Neve

Um tiro cai muito perto deles, as pedras se desprendem e eles caem rolando ladeira abaixo. Ao chegar no pé da montanha, eles estavam feridos e com as roupas rasgadas, as naves não davam trégua, atiravam sem parar.

- Esses soldados alienígenas tem um treinamento fantástico! Não acertam um tiro! - diz Capitão Neve usando sua arma para atirar nas naves

Um dos tiros acerta a cabine do piloto e a nave cai e explode muito próximo a eles.

- Cof cof! Vamos aproveitar esta nuvem de fumaça para usar a nossa granada na parede do Palácio Imperial, assim poderemos entrar rapidamente! - diz Aérea

A tripulação corre e em poucos segundos chega até a parte de trás do Palácio Imperial. Capitão Neve atira a granada, uma grande explosão ocorre, logo atrás vem as naves alienígenas, o ataque em ar não dava trégua, rapidamente apareceu soldados alienígenas em terra.

- Essa granada fez um grande buraco na parede, vamos entrar!- diz Capitão Neve correndo junto com o resto de sua tripulação

Eles entram em um corredor onde só veem duas portas e quatro escadas, sendo que duas das escadas estavam mais próximas e as outras duas mais distantes.

- Estas duas portas dão na Sala do Trono pelo o que meu mapa diz! - diz Capitão Neve

- Vamos nos separar! Eu e o Aérea vamos subir pelas escadas, e você pode ficar aqui no térreo - diz Zip

 Ao subir as escadas que dão acesso a uma grande torre , Zip e Aérea, se deparam com diversas salas vazias, até que chegam no topo da torre onde ficam a Sala de Computação dos Agentes Imperiais e a Sala dos Agentes Imperiais. Chegaram na Sala dos Agentes Imperiais, lá estavam alguns alienígenas que eram responsáveis pela proteção do Palácio Imperial, eles de repente começam a atirar na direção de Zip e Aérea, que se escondem atrás de uma mesa cheia de computadores, os computadores começam a queimar, graças ao tiros, diversos cacos e fios caem no chão, Zip se levanta e faz uma ofensiva atirando com todas as forças contra os alienígenas.

A troca de tiros provoca um curto-circuito no sistema de computação do Palácio Imperial, a sala entra em chamas, Zip não para de atirar contra os alienígenas, Aérea se levanta de trás da mesa, eles não dão um passo para trás! E sobem mais um andar, e chegam até a Sala de Computação dos Agentes Imperiais, onde havia uma grande mesa circular e mesas com computadores, Zip e Aérea não param de atirar, Aérea é atingido e cai ao chão.

- Aguente firme Aérea, eu irei acabar com eles para você. - diz Zip sem dar trégua nos tiros

Zip se agacha em baixo da mesa circular e começa a atirar nos pés do alienígenas que deixam suas armas caírem e se apoiam na mesa, Zip dá tiros no pé central da mesa, e a mesa de repente quebra e começa a rodar dentro da sala o que derruba os alienígenas, Zip atira nos computadores e pega Aérea no ombro, os dois saem correndo, no andar de baixo o fogo tomava conta, eles conseguem descer até a Sala de Jantar e a Cozinha que ficava em baixo do andar que pegava fogo, a grande torre começava a parecer uma tocha de fogo.

- Vamos agora nas torres menores, devemos botar fogo no primeiro andar delas. - diz Zip usando sua arma que era um lança-chamas, ele repetiu o processo nas duas torres que restaram.

Enquanto isso, Capitão Neve estava na Sala do Trono, o imperador alienígena Tnys'm segurava um grande taser que emitia choques a longa distância. Capitão Neve se escondia atrás de uma grande fonte, e atirava sem parar em direção ao imperador que falava provérbios em uma língua que o Capitão Neve não compreendia.

O imperador era um alienígena muito alto, e se diferenciava dos outros de sua espécie por algumas características anatômicas, como o formato dos braços, ele parecia realmente majestosamente horrendo.

Os Quês entram na sala armados com grande lanças cujas pontes emitiam choques elétricos.

- Ora ora! Parece que livrarei a galáxia desse sangue ruim de vocês três de uma vez só! - diz Capitão Neve acionando seu jetpack e voando até o teto da Sala do Trono e atirando sem parar em direção a eles

As armas dos Quês e do imperador eram mais modernas do que pareciam, e ricochetearam o tiro. Capitão Neve se via sem saída.

- Parece que o jogo acabou para você Capitão! - diz os Quês

Quando eles iam atirar, o teto em chamas cai sobre eles e o imperador, e todos eles morrem instantaneamente. O Palácio Imperial começa a desmoronar em chamas, o Capitão Neve e sua tripulação saem pelo buraco que abriram na parede com uma granada, e saem correndo em direção ao alto da montanha.

Minutos depois de lá de cima, eles assistem sentados o Palácio Imperial em chamas, todos desmoronado. A tirania havia definitivamente acabado. Capitão Neve se levanta e vai até o interior da S.S. Patrulha Espacial, e manda a seguinte mensagem para a ilha:

- Se considerem livres! A época de tiranias acabou, o Império Alienígena está definitivamente está extinto!

Da janela da nave ele via explosões de fogos de artifício, a população alienígena comemorava o fim de um governo tirano e cruel em seu planeta. As duas espécies de alienígenas que haviam naquela planeta se uniram, e estava iniciado um governo de paz: o Estado dos Reinos Alienígenas Unidos.

De fora da nave Zip dizia para seu amigo:

- Conseguimos cara! Conseguimos!

Os dois se levantam e entram na nave que voa a toda velocidade em direção a Ilha Club Penguin no Planeta Terra.

O Império Alienígena, o imperador e Theodore já não existiam mais, assim como os Quês. Tudo que lembrava tirania e radicalismo havia ficado no passado, agora faltava acabar com a Convenção dos Rebeldes e depois comemorar a definitiva paz que haviam conseguido conquistar depois de tanto tempo!

Esse foi o 9° capítulo de A verdade está lá fora. Fiquem atentos, pois domingo que vem teremos o 10° capítulo! Até mais e... Pinguinando!