A verdade está lá fora #4 | A opugnação

Olá pinguins! Sejam bem vindos ao quarto capítulo da segunda temporada de A verdade está lá foraVamos acompanhar os agentes e seus aliados planejando armando uma emboscada?

Clique aqui para acessar a primeira temporada de A verdade está lá fora.





Galpão-base alienígena em meio a mata fechada, 11:00 PM.


Um pequeno grupo de rebeldes se aproximava em meio a fria escuridão noturna do galpão-base alienígena, muitos estavam vivendo esta forte emoção novamente, outros eram a primeira vez que experimentavam tamanha adrenalina.



De repente um tiro... o silêncio foi quebrado! Todos correm em direção ao galpão-base, quase não havia alienígenas lá, já que estavam patrulhando outros locais.

Um tiroteio começou, todos correram sem intimidação para dentro do galpão-base alienígena, Lamusta foi atingido no braço, acabou caindo no chão, Lamusta se levanta pega sua arma e sai correndo em direção aos agentes.

Carrie, Michael, Frank, Ellie e Graziella se escondem atrás de um veículo alienígena, uma espécie de tanque de guerra, ao perceberem que a porta dele estava aberta entraram dentro do veículo e começaram a atirar dentro das instalações do galpão-base. 

O teto foi atingido e desabou quase que por completo, as estruturas de metal feriram a todos, mas como os alienígenas tinha uma fina pele, eles acabaram ficando muito feridos, mas tinham grande resistência, todos começam a sair de dentro dos escombros de metal retorcido e queimado.

Eduerafa e Paul se infiltraram nas salas do galpão-base, que não haviam sido afetadas, lá se depararam com vários alienígenas.

O corredor era longo, mas havia varias salas, e então quando os alienígenas começaram a atirar, Pual e Eduerafa entraram na primeira sala que viram, era um laboratório, onde estavam dois alienígenas. Um dos alienígenas pula em cima da mesa de experiências, Paul e Eduerafa se escondem em baixo de uma das mesas, os alienígenas procuram por eles, um dos alienígenas derruba todas as coisas que estavam em cima da mesa onde se escondiam em baixo dela os dois rebeldes, vários aquários foram quebrados, e neles haviam muitos animais e seres da Terra, o chão estava cheio de cobras, lagartos, e invertebrados.

De repente uma cobra começou a subir sobre o corpo de Eduerafa.

- Por favor não grite, esta cobra não é peçonhenta, você ficará bem. - diz Paul no ouvido de Eduerafa

Em instantes os alienígenas derrubam a mesa, Paul e Eduerafa correm, os dois escorregam e caem sobre o chão ligeiramente molhado, por causa de um aquário de anfíbios que foi quebrado.

Um alienígena pula em cima de Eduerafa e começa a comê-lo! Paul assustado com o comportamento selvagem do alienígena, procura por sua arma em meio a bagunça, mas o outro alienígena pula nas costas de Paul, ele começa a ser devorado pelo alienígena, mas ao ver a porta aberta Gary invade a sala dando tiros nos alienígenas que morreram, o sangue era verde, e começou a cobrir o local.

Eduerafa gemia de dor, se encontrava em carne viva, Paul tinha apenas uma mordida em seu ombro.

 Lililuane entrou na sala.

- Que horror! Gary, eu farei os primeiros socorros. - diz Lililuane procurando por curativos em meio ao laboratório alienígena.

Lililuane acha uma maleta de primeiro socorros no chão, mesmo com medo dos animais, Lililuane socorreu os amigos.

Os dois foram retirados do local e colocados dentro de uma nave alienígena, em meio a todo tiroteio, permaneceram lá escondidos.

Lamusta, Lililuane e Gary procuravam por projetos de armas, Gary achou vários projetos escondidos em um fundo falso de uma gaveta na sala do comandante militar alienígena, e Lililuane e Lamusta entraram na sala de equipamentos e guardavam armas e outros equipamentos em suas mochilas.

Na entrada do galpão, o tiroteio continuava, Carrie saiu do tanque de guerra juntamente com seus amigos.

Ellie foi atingida por um tiro, e caiu no de cima do tanque no chão, Michael pulou em cima dela, e começou a chorar.

- Eu te amo Michael... Eu amo todos vocês meus amigos... - diz Ellie se virando para o lado... os batimentos cardíacos pararam... Ellie estava morta!

Carrie e seus amigos choraram pela morte da amiga, mas deviam continuar fortes nesta interminável batalha sanguinária.

Danielps e Juh entraram pelos fundos, passaram perto de uma sala, onde escutavam uma voz.

- Escute Juh! - diz Danielps colocando sua nadadeira sobre o bico de Juh

- Ei! Escutar o quê? - diz Juh tirando a nadadeira de Danielps de seu bico

- Essa voz alienígena! Parece vir daqui de dentro, e parece vir de um aparelho de comunicação. - diz Danielps

Juh dá tiros na fechadura da porta, eles entram e veem um painel cheio de câmeras e vários botões, uma voz surge no rádio, era uma língua estranha.

Danielps tinha conhecimentos de jornalismo via rádio, então achou algo diferente naquele painel, parecia uma espécie de tradutor, de repente a voz do alienígena no rádio saiu  na língua deles.

- O que está acontecendo aí?! Respondam. - diz a voz do rádio

- Está tudo sobre controle! Apenas alguns pinguins tentando entrar dentro do galpão-base. Câmbio, desligo. - diz Danielps

- Ganharemos tempo agora! - diz Danielps saindo da sala junto com Juh

De repente vários alienígenas apareceram saindo das salas, estavam com armamento pesado, Juh e Danielps deram meia volta e se esconderam dentro da sala de rádio novamente.

- Vish! Agora estaremos em desvantagem, espero que os outros já tenham conseguido os equipamentos alienígenas! - diz Danielps

Enquanto isso, Gary corria em meio a mata fechada, estava correndo sem parar, como nunca havia corrido antes, o vento gelado da mata serena batia em sua face, ele começou a subir a montanha, correu até seu iglu, e trancou a porta, e lá, acionou um equipamento que havia escondido por muito tempo, o lançador de mísseis.

Gary pega seu comunicador, cada rebelde tinha um, e então mandou a mensagem:

- Atenção! Evacuar a área! Eu irei lançar um míssil exatamente aí! Repito! Atenção! Evacuar a área! Eu irei lançar um míssil exatamente aí! - diz Gary tremendo de medo

Então, os rebeldes começam a seguir a ordem, e ao mesmo tempo os alienígenas atacavam, todos os rebeldes entraram dentro do veículo de evacuação onde estavam escondidos Eduerafa e Paul.

Lililuane começava a ligar o veículo, ele não ligava, não dava partida!

- Vai! Isto tem que funcionar! - diz Lililuane desesperada

Enquanto isso os rebeldes, mesmo no veículo continuam a atirar nos alienígenas que se aproximavam, Danielps e Juh saíram da sala de rádio ao perceberem que todos os alienígenas já estavam na entrada do galpão-base, então perceberam que todos estavam indo embora.

- Espere! - gritou Danielps

Lililuane gritava falando para eles se apressarem, então Danielps e Juh chegam até o veículo. E então em velocidade máxima fogem do local, sem muito controle do veículo, Lililuane o bate em um pinheiro e todos acabam caindo do veículo, e assim do local onde estão, eles veem uma enorme explosão.

Estavam todos feridos, cansados e assustados. Para Carrie e seus amigos era a primeira vez que lidavam com uma situação do tipo, eles estavam muito tristes com a morte de Ellie.

Todos estavam muito assustados, se levantaram e seguiram em direção a base da Resistência, ao chegarem lá guardaram todos os equipamentos e projetos que conseguiram pegar do galpão-base alienígena, e lá decidiram que no dia seguinte tomariam o controle da ilha.

Enquanto isso, Gary em seu iglu, rapidamente desligou o lançador de mísseis, e com seus equipamentos conseguiu hackear o sistema de rádio, depois de algumas alterações nesse sistema,Gary assim começou a discursar:

- Caros cidadãos da Ilha Club Penguin! Os rebeldes conseguiram tomar o controle da ilha para nós pinguins novamente!Os alienígenas que aqui vivem sabemos que são pacíficos, e deixaremos continuar a conviver conosco, mas os militares estaremos combatendo! A ilha agora é nossa novamente! Aceitaremos novos membros para a Resistência! Acabaremos com o Império Alienígena, destruindo a estação espacial de Theodore e por último iremos até o Planeta Y acabar com a tirania do imperador alienígena! Grato! - diz Gary encerrando o seus discurso, se levantando da cadeira e deitando em sua cama, ofegante de tanta emoção

Era o começo da futura Guerra Interplanetária! A Revolta Rebelde marca o início desta guerra, a partir daí os conflitos são inevitáveis! Temos fé que os rebeldes conseguirão derrotar o Império Alienígena na Batalha Final do Planeta Y! 


Esse foi o 4° capítulo de A verdade está lá fora. Fiquem atentos, pois domingo que vem teremos o 5° capítulo! Até mais e... Pinguinando!