31 de dez de 2016

Honra, O Legado Divino #1 I A Queda

Olá pinguins! Tudo certo? Hoje estarei começando uma nova série aqui no Mundo Ártico do Club Penguin, estava planejando fazê-la faz um tempinho mas não tive tempo de postá-la. Mas enfim, o nome da série é: Honra, O Legado Divino. Bem, espero que curtam a série e vamos lá (Aviso: Essa série terá pequenas referências aos filmes da produtora Marvel, então fiquem atentos... hehe)!





Você já se perguntou... O que é tempo? Muitas pessoas não tem a mínima noção do tempo, e em uma época desconhecida por todos, a civilização dos pinguins fazia o possível para descobrir tudo o que a natureza escondia. Porém mal sabiam eles, que o verdadeiro sentido do universo e do tempo estava  escondido acima de todos... E embaixo também! Deuses, seres divinos criados para manter a ordem no planeta e equilibrar tudo que possa existir. Quando o momento certo chegou, eles saíram de seus aposentos sagrados e se mostraram para os pinguins. Eram eles: Lanti, o rei dos Céus, provedor de justiça e fidelidade, Pugnatroces, Bravo Guerreiro, defensor dos inocentes e provedor da esperança e Drarcum, vigilante dos infiéis e engolidor de almas. Com o domínio dos deuses sobre os pinguins, tudo estaria seguro e em perfeita paz, enquanto eram louvados. Porém, um dia, algo iria mudar isso...

Reino das Nuvens/Castelo de Lanti(Madrugada)

Lanti estava exausto depois de lutar contra invasores do espaço, então, sentou em seu trono para se recuperar. Porém, seu descanso é perturbado por uma batida de porta insuportável. Irritado ele pede para que abram a porta.

- Senhor Lanti, preciso que venha aqui fora para ver isto! - Diz o mensageiro suando, ele parecia apavorado.

- Se acalme, o que queres me mostrar desta vez? - Pergunta Lanti com uma voz abafada.

O mensageiro leva Lanti até o monte-nuvem mais alto dali perto. Ele aponta para uma nuvem negra que emitia luzes vermelhas vindas de dentro, ela flutuava em pleno espaço e vinha em direção da terra.

- Não me parece ser uma coisa tão perigosa, deve ser apenas uma tempestade furiosa. - Diz Lanti.

- Sugiro que dê uma olhada, pela nossa segurança senhor. - Diz o mensageiro se escondendo atrás das vestes de Lanti.

- Não se preocupe eu irei lá. - Diz Lanti - Conjurar Armadura! - Grita Lanti enquanto sua armadura se auto monta em seu corpo.

Ele ergue sua espada multi-armamento e alça voo com suas grandes asas douradas. Quanto mais ele chega perto da grande nuvem negra, mais a luz vermelha foca em sua visão, Lanti transforma sua espada em um arco e flecha e atira uma flecha na abertura da nuvem de onde estava saindo a luz. Um grito barulhento se ouve de dentro da nuvem, e então, um enorme monstro comprido se ergue da abertura. A criatura se parecida com uma serpente cinza, porém com uma pele rochosa e com olhos vermelhos.

- O que é isso?! - Pensa Lanti.

Sem pensar duas vezes, ele começa a atirar várias flechas na criatura, para tentar afastá-la do planeta terra, mas sem sucesso, o monstro avança mais ainda.

- Credo, essa coisa tem a pele dura como pedra! - Fala Lanti surpreendido - Não vou deixar que machuque meu povo, seu verme imprestável! - Diz Lanti.

Lanti prende o escudo na boca da criatura e lhe dá várias pancadas com sua espada agora transformada em um tacape. A criatura engole o escudo de Lanti, e ele fica vulnerável aos seus ataques. Mas com um movimento sagaz, ele sobe no focinho da criatura e corre arrastando sua espada pelo corpo do monstro. Perto da cauda, Lanti transforma sua espada em um gancho e fisga a cauda do monstro, e dá várias rajadas de vento com suas asas, puxando a criatura para trás.

- Nem... Pense... Em... Machucar.... O meu povo!!! - Diz Lanti forçando a corrente para não escorregar.

O monstro, sentindo a dor do gancho, reflete uma das luzes vermelhas no rosto de Lanti e o deixa cego por um momento.

- Meus olhos! Isso dói muito! - Grita Lanti com os olhos ardendo.

Com Lanti distraído, o monstro pode adentrar o planeta.

- Porcaria, perdi ele. -  Diz Lanti - Bem, veremos do que Pugnatroces é capaz... - Diz Lanti dessa vez depositando confiança em seu aliado.

Reino de Pandur(Nascer do Sol)

No centro de Pandur, Pugnatroces ficava patrulhando os arredores. Ele estava observando o lindo nascer do sol, que se estendia por todo o horizonte. Mesmo sendo um dia pacifico, ele vestia sua armadura para qualquer imprevisto que viesse.

- É incrível saber que o grande Titã nos deu tudo isso que nós vemos, sem exceções de seres. - Diz Pugnatroces filosofando.

Mas enquanto olhava o nascer do sol, ele nota uma estranha luz descendo do Reino das Nuvens, a luz era amarela e vermelha. Era o monstro caindo dos céus! E desta vez ele estava em chamas!

- Olhem, lá em cima, eu estou vendo! É uma serpente de fogo! - Diz os pinguins desesperados

- Basta! Eu irei destruir essa criatura imunda! - Fala Pugnatroces entusiasmado.

Pugnatroces percebe que a criatura estava muito próxima de cair no Reino então não tinha muito tempo para pensar. Ele avistou um caixote de dinamite atoa perto do bar, então o pegou e com as suas botas de vibranium deu um salto bem alto indo em confronto com a criatura. Pugnatroces segura em um dos dentes da criatura e joga o caixote de dinamites dentro dela, ele afia sua espada na bota e ela pega fogo. Ele atira a espada no caixote, ele explode e a criatura morre ao ter seus órgãos internos queimados. Porém, antes que Pugnatroces lança-se a criatura para bem longe, a boca dela libera um gás verde muito forte, que faz Pugnatroces, morrer. O peso do corpo de Pugnatroces afasta a criatura do Reino. Os cidadãos entram em pânico ao perceberam que Pugnatroces havia morrido, e lá de cima, Lanti consegue ver a serpente caindo perto de uma montanha, ficando isolada de toda a civilização, porém fazendo um grande estrondo.

- Eu não creio... - Fala Lanti agora com o coração batendo mais rápido. Lanti envia um Sinal de Luz para a mente de Drarcum, o avisando que devia ir até o local da queda.

Drarcum usa sua armadura de metamorfose e vira um ''Dragão de Ferro'', com isso ele consegue escalar as rochas flutuantes do Reino Subterrâneo até chegar em uma grande abertura de água. Drarcum salta de um rio próximo e avista a fumaça de longe. Ao chegar ao local, ele freia a armadura, deixando um rastro de terra no caminho.

Ele vê Lanti enfiando sua espada no chão, e se curvando ao cadáver.- Então, o Titã abençoou aquele que nós mais precisamos?  - Diz Drarcum com os olhos pesados.

- Você sabe, que sim... - Diz Lanti pegando a manopla destroçada.

O sentimento cruel e sanguinário de Drarcum, foi esquecido por um momento, e o pôs a chorar lagrimas ardentes. Ele não resiste, e deixa que o peso de sua armadura o faça cair no chão. Mas, ele se fortalece e levanta.

- Chega, não podemos mais ficar chorando. - Diz Drarcum levantando a cabeça.

- Mas era você quem estava chorando. - Diz Lanti com um olhar descarado.

- Não importa... - Termina Drarcum envergonhado.

Bem, tu tens razão, não podemos ficar parados, devemos encontrar um novo substituto para Pugnatroces. Diz Lanti. - Ou senão, os reinos estarão sujeitos ao caos.

Bem pensado. -Concorda Drarcum.

Depois de pensar um pouco, Lanti tem uma ideia. - Eu já sei! Venha comigo.

Reino das Nuvens(Dia)

Lanti e Drarcum usam seus poderes de onipresença para se teletransportarem até o castelo de Lanti, eles se encontram em um corredor feito de pedras brancas, as pilastres dos lados seguram o teto de de ouro super pesado, e embaixo, podia se ver todos os Reinos Terrestres.

- Aqui é demasiado alto. - Diz Drarcum surpreso. - Tenho lembranças deste lugar, pena que tu nunca me deixaste ficar aqui por muito tempo.

- O meu reino não iria ficar seguro com um genocida de almas. - Ironiza Lanti.

- Hunf, para onde estamos indo? - Resmunga Drarcum.

- Para a Sala da Vida. - Diz Lanti. - Poderemos fazer uma busca personalizada de todas as almas dos três reinos na mesa espiritual, e enfim, encontrar o portador perfeito para o cargo.

- Hahahaha! Acha mesmo que qualquer ser insignificante deste planeta pode substituir um deus?! - Diz Drarcum com uma risada sarcástica.

- Eu tenho um plano para que o escolhido fique em um estado igualado ao nosso. - Diz Lanti confiante.

- E qual é o teu plano? - Pergunta Drarcum.

- Já que tu podes sugar a alma dos seres, podes tirar a essência deles também, certo? - Pergunta Lanti.

- Sim, eu posso. - Afirma Drarcum.

- Ótimo, então o plano será realizado com sucesso... - Diz Lanti

Ao se aproximarem do final do corredor, é possível ver uma porta luminosa feita de material mágico se abrindo lentamente cada vez que eles chegam mais perto. A porta revela um lugar escuro e silencioso, onde o único sinal de luz visível era no centro.

- Argh! Que lugar mais escuro, onde é que está essa mesa? - Resmunga Drarcum

- Está bem aqui. - Diz Lanti passando a mão na mesa empoeirada. - Terei de posicionar minha mão nesta luz para abrir a visão das almas, não tente engolir nenhuma.

- Não sou tão estúpido quanto pensas. - Retruca Drarcum.

Lanti coloca a mão em cima do feixe luminoso, a mesa espiritual começa a soltar uma nébula azul de baixo. Junto com a nébula, saem figuras de pinguins com os olhos completamente brancos, vários desses pinguins tem cores diferentes e iluminações diferentes. Lanti estava com os seus olhos de cor azul, e aparentava estar concentrado em algo.

- Como é que essa coisa funciona? - Pergunta Drarcum

- Estou tentando buscar uma alma semelhante à de Pugnatroces, não posso ver nada, apenas sentir. Não me perturbe. - Diz Lanti. Após algum tempo, Lanti começa a sentir algo diferente. - Drarcum.

- O que? - Pergunta Drarcum.

- Acho que encontrei quem nós queríamos. Diz Lanti. - Mas preciso localizá-lo primeiro. - Lanti concentra a nébula na mesa e a solidifica, formando um mapa. - Reino de Hanorina, é para lá que nós iremos.

- Hanorina? Não é nesse Reino que fica o templo de Pugnatroces? - Pergunta Drarcum.

- Sim, ele já deve ter sido destruído a essa altura - Responde Lanti. - Sabe como são os pinguins não é? As notícias sempre voam.

- É possível que o escolhido seja um seguidor de Pugnatroces, quase todos desse Reino são. - Diz Drarcum.

- E isso é que o tornará um substituto perfeito... - Responde Lanti esclarecendo o seu plano.

- Não acho que um pinguim possa assumir um cargo tão importante como esse, se der esses poderes, ele poderá usá-los para se auto beneficiar, e talvez até se rebelar contra nós. - Opina Drarcum.

- Claro. - Diz Lanti. - Mas, tem um problema nessa sua expectativa.

- E qual é? - Pergunta Drarcum.

- Será tu, quem darás os poderes. - Ironiza Lanti mais uma vez.

- Ah, me poupe, será que tu não cansas destas piadinhas? Pergunta Drarcum enfurecido.

- Não, Te encontro no Rio hoje de tarde - Diz Lanti andando de costas em direção à porta. - E não precisa se estressar, o Titã sabe o que faz.

Lanti se teletransporta da sala, e deixa Drarcum pensativo sobre aquilo.

- Tomara que saiba ele saiba mesmo...

Quem será o escolhido para tomar o lugar de Pugnatroces?? Querem saber? Esperem sair o próximo capítulo! Espero que tenham gostado da nova série, ela será postada todas as sábados de 18:00, não percam! (Ei, descobriram alguma referência? Coloque aqui embaixo!)